Ainda há tempo para impedir o pior

18/05/2016

É impressionante como uma parte considerável da população mais consciente ainda não se deu conta ou não quer se dar conta do que aconteceu em 12 de maio de 2016. Talvez cegas de ódio pelo PT e com o desgoverno Dilma, essas pessoas ainda não acordaram para a gravidade do que representa a “solução Temer”.

O dia seguinte já aconteceu e demonstrou que a interrupção do mandato de Dilma Rousseff, ao contrário de representar um alívio para o país, jogou o comando da nação nas mãos de quadrilheiros da velha política, fiadores dos “mercado boys”.

Só o que se houve de ministros e do próprio presidente usurpador é o mantra: “Precisamos cortar gastos”.

Basta dar uma passada de olhos na biografia dos ministros para ver que todos estão encrencados em algum escândalo, de preferência de corrupção, desvio ou mal versação de verbas, etc.

A ideia do tal governo dos técnicos e especialistas logo deu lugar a um ministério de deputados e senadores truculentos, despreparados e falastrões para ocupar as pastas. Na Saúde um sujeito que teve campanha eleitoral financiada por administradora de planos privados. Na Educação o herdeiro de uma oligarquia do Nordeste. Na Cultura… bom, na Cultura é melhor fechar o Ministério.

A Previdência Social virou um apêndice do Ministério da Fazenda, o que desvirtua por completo uma pasta com vocação inteiramente social, transformando-a em mero instrumento contábil do velho Henrique Meirelles e sua turma de garotos do mercado.

E a corrupção!? Onde foi parar aquela pressa em passar o Brasil a limpo? Não se houve mais falar em Operação Lava Jato e Sérgio Moro, a não ser nos discursos e promessas de que ela continuará existindo.

A EBC foi violentada com a demissão de seu Presidente, que deveria cumprir mandato de quatro anos, segundo prevê a legislação.

Eduardo Cunha, mesmo fora da Presidência da Câmara, continua dando as cartas na casa legislativa mais importante do país. Os ministros e demais políticos profissionais citados em depoimentos de delação premiada e listas de empreiteiras continuam lépidos e fagueiros.

A mídia conservadora, liberal e de esquerda de todo o mundo trata o que houve no Brasil como golpe e o país passa vergonha internacional com a denúncia de artistas no Festival de cinema mais famoso do mundo. Só a mídia empresarial brasileira, comprometida com tudo, menos a cobertura equilibrada dos fatos, tenta dar ares de legalidade à República Jeca de Temer.

Ninguém precisa morrer de amores pelo PT, Lula ou o governo Dilma (como é meu caso), nem mesmo ser de esquerda.  Mas não se pode ignorar o que se passa no país ou mesmo dar “um voto de confiança” a Temer e sua gangue.

A reação popular ao golpe de 12 de maio precisa ocorrer e logo. Caso contrário, os trogloditas do mercado e os corruptos de sempre vão meter os pés na Previdência Social, nos programas sociais, na Saúde, na Educação, assim como estão fazendo com a Cultura. Já avisaram que querem aprovar o saco de maldades rapidamente.

Ao contrário do que pensam os que odeiam as esquerdas, quem vai pagar a conta caso não haja uma forte resistência ao desgoverno Temer não será o PT – que já abriu a possibilidade para acordos eleitorais até com o PMDB para as eleições municipais deste ano –, mas a grande maioria da população, incluindo amplos setores da classe média.

Nestes primeiros dias que sucedem ao golpe de 12 de maio ainda é possível articular frentes de resistência, escrever, ocupar as redes sociais, etc. Mas o principal é deixar as mágoas de lado e voltar às ruas, de vermelho, verde e amarelo ou a cor que se queira, para exigir que a vontade popular seja respeitada.

Diante do afastamento de Dilma e da falta de legitimidade de Temer a única saída honrosa seria a convocação de eleições presidenciais ainda este ano. Vença quem vencer, pelo menos teremos um governo legitimado pelo voto popular.

Anúncios

3 Respostas to “Ainda há tempo para impedir o pior”

  1. O retrocesso é muito grande, em tempos democráticos isto é inadmissível. Um golpe muito bem engendrado, em nível espetacular de um filme de alta tecnologia. O Judiciário é podre e a mídia conservadora precisa ser podada…

  2. zelito said

    Acho Henrique, tales antes da eleição já direta . a saída seria realizar um plebiscito junto com as eleições municipais com a pergunta voce concordaria em antecipar as eleições para presidente antecipada etc . Se o povo desse sim o TSE organizaria as novas eleições

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: